Como emagrecer com saúde

A grande maioria das pessoas que não consegue emagrecer falha por um motivo simples: tem pressa de ver os resultados. E na ânsia de que isso aconteça, acabam trocando os pés pelas mãos e fazendo dietas mirabolantes que podem até funcionar no curto prazo, mas a longo prazo acabam se mostrando ineficazes.

Eu falo por experiência própria, pois já tentei reduzir meu peso algumas vezes e sempre acabava sofrendo com o efeito sanfona. E esse processo se repetiu até o momento em que me conscientizei de que sim, ter um corpo bonito é ótimo e faz muito bem para a autoestima, mas e a saúde, como fica? Quando somos jovens talvez não nos preocupemos muito com ela, mas é só surgir o primeiro problema que nos damos conta que, sem ela, nada mais tem importância.

Como emagrecer com saúde

Quando comecei a pensar mais sobre isso, parei para analisar que tipo de “dieta” seria melhor para mim. Então tracei o seguinte plano: para não sofrer já de cara, comecei a fazer pequenas concessões no meu dia a dia. Eu sabia o que mais me engordava e deixava inchada: o bendito refrigerante. Então, comecei reduzindo, substituindo por outras opções que eu também gostava como água de côco, água com gás, limão e gelo e até mesmo chás gelados. Perceba que mesmo que a substituição não seja a mais saudável (chás gelados também são industrializados), eu o fiz para desacostumar meu paladar, que só sabia o que era Coca-Cola basicamente.

Depois disso, minha mentalidade foi a de “começar a inserir novos alimentos” no meu dia a dia, ao invés de “tirar tudo quanto é porcaria e que eu adoro”. Comecei a consumir mais peixes, saladas, verduras e legumes (e devo frisar que eu nunca gostei de salada), mas comecei a me forçar a experimentar coisas novas. Nesse processo, inclusive, descobri alimentos que eu gosto, como moranga, e que jamais suspeitaria se não tivesse experimentado.

Em alguns dias, eu fazia até um tipo de “jogo” comigo mesma. Por exemplo, eu pensava que podia comer arroz, feijão, batata frita e bife, desde que comesse um prato de alface e brócolis antes disso. Mas tudo estava liberado. E como já era de se esperar, depois de comer um prato de salada, você já chega no prato principal quase sem fome!

Depois disso, parei de usar o elevador e comecei a utilizar a escada para chegar ao meu apartamento. Ao final dessa primeira fase, já havia reduzido 3kg em pouco mais de 2 semanas. Sem tantos sacrifícios assim.

Na segunda fase, meu corpo começou a estranhar um pouco meus novos hábitos e começou a pedir os alimentos aos quais estava acostumado: salgadinho, Coca-Cola, doces, etc. Então, para não regredir, comecei a fazer substituições. Por exemplo, se eu não me aguentava e comia salgadinho e bebia um copo de coca, então esse era o meu jantar. Dessa forma, por mais que não estivesse ingerindo alimentos saudáveis, também não voltava a ganhar peso.

Veja que por mais que se dê dois passos para frente e um para trás, ver que a balança está apontando um peso menor, acaba te motivando a não jogar tudo para o alto. Eu comprei uma balança e me peso todos os dias pois assim já sei se no dia seguinte posso ficar mais tranquila ou preciso comer menos.

Outro passo importante, quando vou ao supermercado, evito comprar chocolates e doces para ficar à minha disposição. Porque sabe como é, temos que usar a preguiça a nosso favor nesse caso. Se bater aquela vontade de atacar um bolo, mas não tiver em casa, você provavelmente não vai sair só para isso.

Ao final dessa segunda fase, decidi ir para a academia. Atualmente, estou trabalhando em casa e por isso posso frequenta-la em horários alternativos, o que me motiva muito mais já que não preciso ficar esperando horas para usar um aparelho de musculação, por exemplo. Nesse ponto, é importante identificar que tipo de exercício te motiva mais. Falta de dinheiro não é justificativa, pois até uma caminhada na rua já está valendo.

Acredito que já deu para perceber que emagrecer não é assim tão difícil, o mais importante é você não ter pressa de ver os resultados e fazer todo o processo visando ter mais saúde. Tenha em mente que certas substituições na sua alimentação precisam ser permanentes (ou você quer chegar aos 60 anos cheio de problemas, gastando seu dinheiro mais em remédios do que qualquer outra coisa?). Mas mesmo que sejam permanentes não precisam acontecer de uma hora para outra.

Seja paciente com você e com seu corpo e vá adotando novos hábitos aos poucos. Encontre prazer na atividade física que escolher e incorpore-a ao seu dia a dia. E para não cair em desespero, saiba que você pode sim continuar comendo um chocolate aqui, um sorvete ali, mas com bom senso, e não todos os dias. Assim, você fica satisfeito com seu corpo, com sua saúde e ainda pode aproveitar para cair em tentação de vez em quando, sem comprometer seus esforços.

Clique aqui para saber mais sobre o programa de emagrecimento…

Avalie esse post!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *